Doenças Neurológicas na Gestação

Compartilhe:

A epilepsia na gravidez está associada a risco aumentado de pré-eclâmpsia, infecções, descolamento de placenta de cesariana, prematuridade, baixo peso ao nascimento, más-formações congênitas e de complicações relacionadas à asfixia perinatal. O controle da epilepsia, ou seja, o tempo livre de crises, é um fator prognóstico. Quanto maior o intervalo de tempo sem crises durante a gravidez, melhor o prognóstico perinatal. De maneira geral, não se deve suspender o tratamento farmacológico da epilepsia, durante a gravidez, sem a supervisão de um especialista.

Baixe o PDF aqui.

Compartilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Iniciar conversa
Olá! Podemos ajudar?
Olá! Podemos ajudar?