Mitos e verdades sobre gravidez

As futuras mamães, principalmente as de primeira viagem, costumam enfrentar muitas dúvidas ao longo da gestação. Na mesma intensidade das incertezas vêm também os mais variados conselhos, geralmente compartilhados por pessoas próximas e que não são especialistas. Para orientar as gestantes, a Sogirgs selecionou as dúvidas mais frequentes nesse período tão importante da vida da mulher.

Verdade. É nesse período que ocorre a formação dos órgãos do feto. Ou seja, é quando há maior risco de ocorrerem doenças ligadas a alterações genéticas. Por isso, há um especial cuidado em se evitar medicações, bebidas, alguns exames de imagem e afins. De 10 a 15% das mulheres sofrem aborto espontâneo até a 12ª semana de gestação – decorrente, justamente, de malformações do embrião.

Mito. De maneira geral, a recomendação é de que a mulher grávida mantenha uma alimentação balanceada e saudável, com preferência para alimentos naturais, não processados ou industrializados, rica em fibras, vitaminas e minerais e pobre em gorduras, além de ingerir bastante líquido. Mulheres que engordam muito têm maior risco de desenvolver hipertensão e diabete gestacional, além de complicações durante o parto.

Mito. De acordo com as evidências científicas, a mulher que foi submetida a uma cesariana pode sim ter parto normal na gravidez subsequente, pois os riscos de complicações de um parto normal são inferiores aos demais riscos que estão relacionados a cirurgias sucessivas (exemplo: lesão de órgãos internos, alterações placentárias, hemorragias, infecções, entre outros).

Verdade. O cigarro faz mal a qualquer ser humano e não faz bem para o feto. O cigarro aumenta os riscos de parto prematuro, problemas com a placenta e bebês de baixo peso. Além disso, os bebês também correm mais risco de morte súbita. Fumantes passivas também têm risco maior de terem bebês com baixo peso.

Mito. Apesar dos enjoos serem muito comuns na gravidez, especialmente durante o primeiro trimestre, nem toda mulher apresenta esses sintomas. Isso varia muito de organismo para organismo, por isso, se você sentir enjoos procure um médico para ter certeza de que está tudo bem.

Mito. Atividade física é bem-vinda também durante a gestação. Mulheres com uma gestação livre de intercorrências e acostumadas a atividades físicas podem continuar com sua rotina, respeitando os limites da gravidez e com acompanhamento profissional. Importante evitar apenas aquelas atividades que oferecem risco de choque ou quedas.

Mito. Em virtude das modificações hormonais relacionadas à amamentação, é possível que a mulher não consiga identificar o retorno da ovulação e engravide mesmo antes de apresentar ciclos menstruais novamente. Por essa razão, é de extrema importância o acompanhamento na unidade de saúde para o planejamento reprodutivo.

Verdade. Existe um fluxo de sangue contínuo e intenso, com a presença de coágulos, que tende a desaparecer depois de quatro a seis semanas. Vale lembrar que a amamentação, com a sucção dos seios pelo bebê, ajuda a diminuir o sangramento.

Fonte: Ministério da Saúde (Blog da Saúde)

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *